português PT » húngaro   poder alguma coisa


73 [setenta e três]

poder alguma coisa

-

73 [hetvenhárom]

valamit szabad, lehet (-hat, -het)

73 [setenta e três]

poder alguma coisa

-

73 [hetvenhárom]

valamit szabad, lehet (-hat, -het)

Carrega para ver o texto:   
português PTmagyar
Já podes conduzir? Ve-------- m-- a----?
Já podes beber álcool? Ih---- m-- a-------?
Já podes viajar sozinho para o estrangeiro? Me----- m-- e------ k-------?
   
Poder/ ter autorização sz---- (----- ----)
Podemos fumar aqui? Do------------ i--?
Pode-se fumar aqui? Sz---- i-- d---------?
   
Pode-se pagar com cartão de crédito? (S-----) L---- i-- h------------- f------?
Pode-se pagar com cheque? (S-----) L---- i-- c------ f------?
Só se pode pagar em dinheiro? Cs-- k---------- l---- f------?
   
Posso telefonar? Sz---- t-----------?
Posso fazer uma pergunta? Ké--------- v------?
Posso dizer uma coisa? Mo------- v------?
   
Ele não pode dormir no parque. Ne- a------ a p------.
Ele não pode dormir no carro. Ne- a------ a- a------.
Ele não pode dormir na estação. Ne- a------ a p-----------.
   
Podemos-nos sentar? Le--------?
Podemos ver a ementa? Ka------- e-- é------?
Podemos pagar separado? Fi--------- k----?
   

Como o cérebro aprende novas palavras

Quando estudamos o vocabulário, o nosso cérebro armazena os novos conteúdos. Todavia, a aprendizagem só se produz através de uma repetição contínua. A capacidade de armazenamento do nosso cérebro depende de vários fatores. O mais importante é que façamos uma revisão do vocabulário regularmente. Apenas as palavras que lemos ou escrevemos frequentemente é que são armazenadas. Poder-se-ia dizer que estas palavras são arquivadas como se fossem uma imagem. Este princípio da aprendizagem aplica-se também ao caso dos macacos. Os macacos conseguem aprender a "ler" palavras, se as virem com muita frequência. Apesar de não compreenderem o significado destas palavras, conseguem reconhecê-las através da sua forma. Para podermos falar uma língua com fluência, precisamos de uma grande quantidade de palavras. Por este motivo, devemos organizar bem o vocabulário. Pois a nossa memória funciona como um arquivo. Para encontrarmos rapidamente uma palavra, é preciso saber onde é que a podemos procurar.

Por isso, é melhor aprender vocabulário inserido num dado contexto. Assim, a nossa memória consegue abrir sempre a pasta correta. Mas, por outro lado, também aquilo que aprendemos pode ser esquecido. Os conhecimentos são transferidos da memória ativa para a memória passiva. Com o esquecimento, libertamo-nos dos conhecimentos desnecessários. E, deste modo, o nosso cérebro arranja espaço para coisas novas e mais importantes. Por isso, é importante ativarmos regularmente os nossos conhecimentos. O que está guardado na memória passiva não está perdido. Quando vemos uma palavra esquecida, lembramo-nos dela novamente. Uma vez aprendido, a reaprendizagem torna-se mais rápida. Quem deseja ampliar o seu vocabulário, deve alargar o seu leque de passatempos. Porque todos nós temos certos interesses. E, por isso, ocupamo-nos quase sempre das mesmas coisas. Ainda assim, uma língua consiste em muitos campos semânticos diferentes. Quem se interessa por política, devia também ler de vez em quando a imprensa desportiva!