português BR » francês   Adjetivos 3


80 [oitenta]

Adjetivos 3

-

80 [quatre-vingt]

Adjectifs 3

80 [oitenta]

Adjetivos 3

-

80 [quatre-vingt]

Adjectifs 3

Clique para ver o texto:   
português BRfrançais
Ela tem um cão. El-- a u- c----.
O cão é grande. Le c---- e-- g----.
Ela tem um cão grande. El-- a u- g---- c----.
   
Ela tem uma casa. El-- a u-- m-----.
A casa é pequena. La m----- e-- p-----.
Ela tem uma casa pequena. El-- a u-- p----- m-----.
   
Ele mora num hotel. Il l--- d--- u- h----.
O hotel é barato. L’----- e-- b-- m-----.
Ele mora num hotel barato. Il l--- d--- u- h---- b-- m-----.
   
Ele tem um carro. Il a u-- v------.
O carro é caro. La v------ e-- c----.
Ele tem um carro caro. Il a u-- v------ c----.
   
Ele lê um romance. Il l-- u- r----.
O romance é cansativo. Le r---- e-- e-------.
Ele lê um romance cansativo. Il l-- u- r---- e-------.
   
Ela vê um filme. El-- r------ u- f---.
O filme é excitante. Le f--- e-- c--------.
Ela vê um filme excitante. El-- r------ u- f--- c--------.
   

A linguagem da ciência

A linguagem da ciência é uma linguagem em si mesma. Utiliza-se em discussões especializadas. É, igualmente, utilizada nas publicações científicas. Antigamente, a ciência expressava-se através de uma única língua. Na Europa, durante muito tempo, o latim era a língua predominante para o discurso científico. Hoje, pelo contrário, é o inglês a língua científica por excelência. As línguas científicas são línguas especializadas. Contêm muitos conceitos específicos. As suas principais caraterísticas são a normalização e a formalização. Há algumas pessoas que dizem que os cientistas falam deliberadamente de uma forma incompreensível. Se algo é complicado, parece ser mais inteligente. Ainda assim, a ciência baseia-se apenas na verdade. Por isso, deve utilizar apenas uma língua neutra.

Não há lugar para elementos retóricos nem discursos floridos. No entanto, há muitos exemplos de uma gíria complexa e exagerada. E, na verdade, esta gíria complexa e exagerada parece fascinar o ser humano! Estudos confirmam que confiamos mais em uma linguagem complexa. Os indivíduos envolvidos nestes estudos tiveram que dar resposta a algumas questões. Para tal, tinham que escolher a resposta entre as várias opções dadas. Enquanto algumas respostas eram mais simples, havia outras que tinham sido formuladas em uma linguagem mais complexa. A maioria dos indivíduos escolheu as respostas mais complexas. Mesmo que elas não fizessem nenhum sentido! Estes indivíduos deixaram-se enganar pelo tipo de linguagem utilizado. Apesar do conteúdo ser absurdo, deixaram-se impressionar pela sua forma complexa. Todavia, escrever de uma forma mais complexa nem sempre é uma arte. Pode-se aprender a "embrulhar" um conteúdo simples em uma linguagem complexa. Por outro lado, expressar coisas difíceis de uma forma fácil pode não ser assim tão simples. De modo que, às vezes, a verdadeira complexidade encontra-se na simplicidade...