Guia de conversação

px gostar de qualquer coisa   »   bg желая, бих желал, искам, бих искал нещо

70 [setenta]

gostar de qualquer coisa

gostar de qualquer coisa

70 [седемдесет]

70 [sedemdeset]

желая, бих желал, искам, бих искал нещо

[zhelaya, bikh zhelal, iskam, bikh iskal neshcho]

Você pode clicar em cada espaço em branco para ver o texto ou:   
Português (BR) Búlgaro Tocar mais
Você quer fumar? Ис---- л- д- п-----? Искате ли да пушите? 0
Is---- l- d- p------?Iskate li da pushite?
Você quer dançar? Ис---- л- д- т--------? Искате ли да танцувате? 0
Is---- l- d- t---------?Iskate li da tantsuvate?
Você quer passear? Ис---- л- д- с- р--------? Искате ли да се разходите? 0
Is---- l- d- s- r---------?Iskate li da se razkhodite?
Eu quero fumar. Ис--- д- п---. Искам да пуша. 0
Is--- d- p----.Iskam da pusha.
Você quer um cigarro? Ис---- л- ц-----? Искате ли цигара? 0
Is---- l- t------?Iskate li tsigara?
Ele quer isqueiro. То- и--- о-----. Той иска огънче. 0
To- i--- o------.Toy iska ogynche.
Eu quero beber alguma coisa. Ис--- д- п-- н---. Искам да пия нещо. 0
Is--- d- p--- n------.Iskam da piya neshcho.
Eu quero comer alguma coisa. Ис--- д- я- н---. Искам да ям нещо. 0
Is--- d- y-- n------.Iskam da yam neshcho.
Eu quero descansar um pouco. Ис--- д- с- о------ м----. Искам да си отдъхна малко. 0
Is--- d- s- o------- m----.Iskam da si otdykhna malko.
Eu quero lhe perguntar uma coisa. Би- и---- / и----- д- В- п------ н---. Бих искал / искала да Ви попитам нещо. 0
Bi-- i---- / i----- d- V- p------ n------.Bikh iskal / iskala da Vi popitam neshcho.
Eu quero lhe pedir um favor. Би- и---- / и----- д- В- п----- з- н---. Бих искал / искала да Ви помоля за нещо. 0
Bi-- i---- / i----- d- V- p------ z- n------.Bikh iskal / iskala da Vi pomolya za neshcho.
Eu quero convidá-lo para alguma coisa. Би- и---- / и----- д- В- п----- н- н---. Бих искал / искала да Ви поканя на нещо. 0
Bi-- i---- / i----- d- V- p------ n- n------.Bikh iskal / iskala da Vi pokanya na neshcho.
O que deseja, por favor? Ка--- о------ / ж------- м---? Какво обичате / желаете, моля? 0
Ka--- o------- / z-------- m----?Kakvo obichate / zhelaete, molya?
Deseja um café? Же----- л- к---? Желаете ли кафе? 0
Zh------ l- k---?Zhelaete li kafe?
Ou prefere antes um chá? Ил- п----------- ч--? Или предпочитате чай? 0
Il- p------------ c---?Ili predpochitate chay?
Queremos ir para casa. Ни- и----- д- с- п------- в----. Ние искаме да се приберем вкъщи. 0
Ni- i----- d- s- p------- v-------.Nie iskame da se priberem vkyshchi.
Querem um táxi? Же----- л- т----? Желаете ли такси? 0
Zh------ l- t----?Zhelaete li taksi?
Eles querem telefonar. Те и---- д- с- о----- п- т-------. Те искат да се обадят по телефона. 0
Te i---- d- s- o------ p- t-------.Te iskat da se obadyat po telefona.

Duas línguas= dois centros linguísticos

O nosso cérebro não fica indiferente quando aprendemos uma língua. Pois tem vários arquivos para línguas diferentes. Nem todas as línguas que aprendemos são armazenadas em conjunto. As línguas que aprendemos quando somos adultos têm o seu próprio arquivo. Ou seja, o cérebro processa as novas regras em outra área. Não se armazenam na mesma área da língua materna. Por outro lado, as pessoas que crescem com duas línguas utilizam apenas uma única região. Foi esta a conclusão à qual chegaram numerosos estudos. Neurolinguistas fizeram várias experiências com vários indivíduos. Estes indivíduos falavam fluentemente duas línguas. Metade do grupo tinha crescido com as duas línguas. Por outro lado, a outra metade tinha aprendido a segunda língua apenas mais tarde. Através de testes linguísticos, os pesquisadores conseguiram medir os níveis da atividade cerebral. E, assim, identificaram quais eram as regiões do cérebro ativadas durante os testes. E assim, constataram que os aprendizes ‘tardios’ possuíam dois centros linguísticos! Na verdade, os pesquisadores já suspeitavam disso. As pessoas com uma lesão cerebral revelaram diversos sintomas. Por isso, uma lesão do cérebro pode originar vários problemas com a linguagem. Os afetados pronunciavam e entendiam mal as palavras. No caso dos bilíngues, os sintomas demonstrados eram bastante particulares. Os seus problemas linguísticos nem sempre afetavam as duas línguas. A lesão de uma das regiões do cérebro não impede o funcionamento da outra. Por conseguinte, os pacientes falavam uma língua melhor do que a outra. E, do mesmo modo, a reaprendizagem das duas línguas ocorre de um modo diferente. Isto prova que as duas línguas não se encontram armazenadas na mesma região. Como não foram adquiridas ao mesmo tempo, pertencem a duas áreas cerebrais diferentes. Ainda se desconhece, por enquanto, o modo como o nosso cérebro gerencia as várias línguas. Todavia, as novas descobertas poderiam implicar em novas estratégias de aprendizagem...